Algoritmo do Google Play: o que fazer para ter seu app no topo

A pesquisa do Google Play é uma ferramenta essencial para que usuários encontrem aplicativos para seus dispositivos. Por conta disso, cada vez mais essas soluções devem estar em constante otimização para que o mecanismo de busca seja efetivo.

Mas para isso, é importante saber que o ranqueamento considera o algoritmo do Google Play. O algoritmo conta com fatores diretos e indiretos que possuem pesos diferentes e impactam no sucesso do seu aplicativo.

Ele leva em conta a base de dados de utilização dos usuários, palavras-chave utilizadas e, consequentemente, a interpretação dos padrões de uso do público.

Desse modo, nós do RankMyApp preparamos este artigo para que você entenda mais sobre o que influencia o algoritmo e como fazer para ranquear seu app na categoria. Boa leitura!

Mas afinal, o que é e como funciona um algoritmo?

Algoritmo é a definição de uma sequência de raciocínios, operações e instruções para conquistar uma meta. Além disso, é necessário que os passos tenham um limite e sejam operados sistematicamente.

É essencial entender que o algoritmo se justifica no resultado que ele deseja alcançar, logo, precisa ter um objetivo claro e único. Uma sequência simples de instruções pode se tornar algo complexo de acordo com a necessidade em considerar outras situações.

Ou seja, com o tempo, ele vai se tornando mais robusto ao ponto de englobar todos os cenários possíveis. Também é importante que a estrutura siga uma lógica sistemática.

As estruturas de um algoritmo são:

  • Variáveis: são os dados de entrada inclusos que definem onde o algoritmo vai. As mais comuns são texto, inteiro, lógico e real;
  • Comandos de repetição: baseia-se na utilização de conjunções como “se” e “enquanto”, para que o algoritmo compreenda o que fazer quando os processos acontecerem e o que fazer se eles se modificarem.

Com isso, o algoritmo fica mais completo e pode desenvolver várias situações a fim de permitir o alcance do resultado final.

E o algoritmo do Google Play, para que serve?

É crucial entender que o algoritmo do Google Play sofre alterações de tempos em tempos. Assim, conhecer os fatores de classificação e otimizá-los continuamente é fundamental para elevar a posição do seu aplicativo ou jogo no Google Play.

Esses algoritmos são responsáveis por permitir que determinado aplicativo tenha maior visibilidade e taxa melhor de engajamento, por exemplo.

No universo do Google Play, o entendimento e a utilização estratégica de palavras-chave são fundamentais para navegar pelas intenções de busca dos usuários, sendo o algoritmo particularmente atento às consultas de pesquisa para destacar aplicativos que preencham critérios específicos, elevando suas chances de aparecer nos resultados de busca.

Essa classificação não depende apenas da inclusão inteligente de palavras-chave relevantes nos metadados, mas também leva em conta fatores vitais como avaliações, downloads, taxas de conversão e retenção.

Portanto, combinar informações precisas e completas sobre seu aplicativo e uma excelente experiência de usuário é a chave para conquistar e manter posições de liderança na plataforma Google Play, destacando-se em um mercado cada vez mais competitivo.

Conceitos importantes para performar diante o Algoritmo do Google Play

A performance de um app para ranquear perante ao algoritmo do Google Play depende da consideração de diversos fatores. Entretanto, 3 deles se destacam por serem essenciais para que o app cumpra as funções que o Google exige para tal fim.

Abaixo explicaremos melhor cada um deles e como eles funcionam.

Inteligência artificial (IA) e o algoritmo do Google Play

A DeepMind é uma empresa britânica que foi adquirida pelo Google em 2014, e desenvolve inteligência artificial e algoritmos de aprendizagem de máquina. 

Ou seja, ela foi a responsável por administrar a forma como o algoritmo do Google Play irá organizar e ranquear os principais aplicativos presentes na plataforma.

Para isso, são considerados aqueles apps que oferecem uma melhor experiência ao usuário, estão dentro de suas diretrizes de publicação e condizem com o interesse de quem vai baixar um aplicativo.

Atualmente, o algoritmo do Google Play utiliza um modelo conhecido como Transformer, e faz a indicação de um app a partir de uma atenção aditiva, que considera, por exemplo, o histórico de downloads do usuário.

Algoritmo do Google Play
O Google Play utiliza inteligência artificial em seu algoritmo

Porém, o processo não é tão simples quanto parece, uma vez que há um sistema de pesos que leva em conta a relação entre o número de vezes em que o app foi apresentado e quantos downloads obteve a partir dessa apresentação.

Além disso, há toda uma complexidade no ranqueamento dos apps, já que o algoritmo do Google Play também busca uma competição mais justa, onde aplicativos novos podem performar bem se tiverem maior taxa de conversão em relação ao cumprimento de todas as diretrizes do Google.

Machine Learning

Por sua vez, o machine learning pode ser traduzido como “aprendizado de máquina” e sua função é exatamente o que seu nome sugere. Em outras palavras, ele analisa dados, se alimenta das informações obtidas e aprende com elas.

O machine learning está por detrás, por exemplo, dos filtros do Gmail, da plataforma GSuite e, principalmente, do algoritmo do Google Play. Em ambos, ele capta informações diversas e cruza com dados padrões do usuário.

Por exemplo, se o usuário costuma utilizar um app de corrida no início do dia, é possível que haja recomendações no Google Play a partir deste comportamento. E neste caso, pode ser tanto apps concorrentes quanto relacionados ao tema.

De modo geral, essa análise do machine learning é capaz de identificar grupos de apps com funcionalidades similares através de metadados colocados na descrição de texto ou mesmo métricas de usuários.

Por último, a tecnologia também permite, por exemplo, detectar práticas nocivas, aplicativos maliciosos ou ainda que tentam burlar as diretrizes do Google Play.

Big data e o algoritmo do Google Play

O conceito de Big Data pode ser verificado desde a década de 1950, onde empresas já analisavam dados, ainda que de modo simples e manual. 

Entretanto, ele passa a ser essencial em uma estratégia de ranqueamento quando se torna um dos fatores principais do algoritmo do Google Play. Ou seja, não é possível pensar em ranquear um app na plataforma sem compreender o termo.

O Big Data pode ser compreendido como um processo de análise de dados que considera o que chamamos de 3 V’s: Volume, Velocidade e Variedade.

algoritmo do Google Play
Big data e o algoritmo do Google Play

Volume

No volume, o algoritmo do Google Play considera um contexto hiperconectado e digitalizado, onde é necessário que um app, por exemplo, seja capaz de engajar diversas pessoas para que se relacionem com ele.

Ou seja, é necessário que haja um volume de downloads, acessos, permanência do app instalado em aparelhos e outros, para que o algoritmo compreenda a relevância do seu produto.

Velocidade

Já a velocidade considera as etapas de armazenamento, processamento e resposta do seu app. Ou seja, ele precisa ser capaz de oferecer as melhores soluções no menor tempo possível.

Para isso, não pode ser um aplicativo “pesado”, com demora no carregamento de links ou páginas.

Variedade

Por último, a variedade condiciona a forma como um app oferece conteúdo em diversas formas. Por exemplo, em formatos de vídeos, textos, hiperlinks, tutoriais, imagens e outros.

Juntos, os três conceitos abordados acima permitem a avaliação e o posterior ranqueamento de um app no Google Play em suas primeiras posições.

Principais métricas usadas pelo algoritmo do Google Play

O algoritmo do Google Play é um conjunto de regras e processos complexos desenvolvidos pelo Google para classificar e recomendar aplicativos na loja do Google Play. Assim como o algoritmo de busca do Google para resultados de pesquisa na web, o algoritmo do Google Play utiliza uma variedade de sinais e métricas para determinar quais aplicativos serão exibidos em destaque, recomendados aos usuários e classificados nas listas de resultados de pesquisa dentro da loja.

Embora o Google não divulgue detalhes específicos sobre como seu algoritmo funciona, é amplamente aceito que ele leva em consideração uma série de fatores, incluindo:

  1. Relevância: O algoritmo avalia a relevância de um aplicativo em relação à consulta de pesquisa de um usuário. Isso inclui a correspondência entre o título, descrição e palavras-chave do aplicativo e os termos de pesquisa inseridos pelos usuários.
  2. Engajamento do Usuário: O algoritmo considera o engajamento dos usuários com um aplicativo, incluindo o número de instalações, avaliações e comentários, taxa de retenção de usuários, tempo médio de uso e frequência de uso. Aplicativos com alto engajamento tendem a receber uma classificação mais alta.
  3. Qualidade e Desempenho Técnico: A qualidade e o desempenho técnico de um aplicativo também são fatores importantes. Isso inclui a estabilidade do aplicativo, velocidade de carregamento, otimização para diferentes dispositivos e conexões de internet, além da ausência de bugs e crashes.
  4. Atualizações e Suporte: O algoritmo valoriza aplicativos que são regularmente atualizados com novos recursos, correções de bugs e melhorias de desempenho. Além disso, oferecer suporte ao cliente eficaz e responder rapidamente às avaliações e feedback dos usuários pode influenciar positivamente a classificação do aplicativo.
  5. Políticas e Diretrizes do Google Play: O algoritmo também leva em consideração o cumprimento das políticas e diretrizes do Google Play, incluindo requisitos de segurança, conteúdo apropriado e práticas de monetização éticas.

É importante notar que o algoritmo do Google Play está em constante evolução, e as atualizações podem impactar significativamente a classificação e visibilidade dos aplicativos na loja. Portanto, os desenvolvedores de aplicativos devem estar atentos às melhores práticas de ASO (App Store Optimization), bem como às políticas e atualizações do Google Play para garantir o sucesso de seus aplicativos na plataforma.

Otimização para diversas telas (mobile friendly)

A otimização para diversas telas, também conhecida como “mobile friendly”, tornou-se um fator crucial para o sucesso online desde a introdução do Mobilegeddon, uma atualização do algoritmo do Google em 2015. Essa atualização revolucionou a forma como os sites eram classificados nos resultados de busca, estabelecendo o mobile friendly como um dos principais requisitos de ranqueamento.

O Mobilegeddon foi mais do que apenas uma atualização; foi um marco na evolução da internet, refletindo a crescente importância dos dispositivos móveis na vida cotidiana das pessoas. Com o aumento do número de usuários acessando a internet por meio de smartphones e tablets, o Google reconheceu a necessidade de priorizar a experiência móvel do usuário.

Como resultado, muitos sites foram forçados a repensar suas estratégias de design e desenvolvimento, optando por layouts responsivos que se ajustam automaticamente a diferentes tamanhos de tela. Um site responsivo oferece uma experiência de usuário consistente e intuitiva, independentemente do dispositivo utilizado para acessá-lo, o que não só melhora a satisfação do usuário, mas também aumenta as chances de conversão e retenção.

Além disso, a otimização para dispositivos móveis não se limita apenas ao layout. Outros aspectos, como tempo de carregamento da página, navegação simplificada, botões e elementos de interação adequados ao toque, também desempenham um papel crucial na determinação do sucesso de um site nos resultados de busca móvel.

Portanto, o mobile friendly deixou de ser apenas uma tendência passageira e tornou-se uma necessidade fundamental para qualquer site que deseje se destacar no competitivo cenário online de hoje. Aqueles que abraçam essa abordagem não apenas atendem aos requisitos do algoritmo do Google, mas também oferecem uma experiência de usuário superior, conquistando a confiança e a fidelidade de seus visitantes.

Informações completas e precisas na publicação

Garantir que seu aplicativo contenha informações completas e precisas é fundamental ao publicá-lo. Isso não só simplifica a experiência dos usuários, fornecendo todas as informações necessárias para que compreendam e explorem melhor seu produto, mas também é essencial para uma estratégia eficaz de otimização nas lojas de aplicativos.

Ao disponibilizar informações completas sobre seu aplicativo, como descrições detalhadas, capturas de tela elucidativas, vídeos explicativos e uma lista abrangente de recursos, você aumenta significativamente suas chances de atrair e engajar usuários. Essas informações servem como um convite virtual, apresentando os pontos de venda únicos do seu aplicativo e convencendo os usuários a experimentá-lo.

Além disso, é importante reconhecer que, assim como na web, os aplicativos também podem se beneficiar de técnicas de otimização para mecanismos de busca (SEO). No mundo dos aplicativos, isso é conhecido como ASO (App Store Optimization). O ASO é um conjunto de estratégias e táticas projetadas para melhorar a visibilidade e o desempenho de um aplicativo nas lojas de aplicativos, como a App Store da Apple e a Google Play Store.

O ASO abrange uma variedade de áreas, incluindo otimização de palavras-chave, análise da concorrência, solicitação e gerenciamento de avaliações e classificações dos usuários, otimização de elementos visuais, como ícones e capturas de tela, e ajustes nas descrições do aplicativo para aumentar sua relevância e apelo.

Investir em uma estratégia abrangente de ASO não só melhora a descoberta do seu aplicativo pelos usuários em potencial, mas também pode aumentar sua posição nos resultados de busca das lojas de aplicativos, resultando em mais downloads e maior sucesso no mercado. Portanto, ao publicar seu aplicativo, certifique-se de que todas as informações estejam completas e precisas, e considere implementar uma estratégia de ASO sólida para maximizar seu potencial de alcance e impacto.

Avaliação de usuários e versão atualizada

O algoritmo do Google Play considera fundamental a avaliação dos usuários no ranqueamento do app. A Play Store não faz divulgação de todos aplicativos disponíveis na loja.

Eles utilizam um cálculo que considera a popularidade de um app, mas também há uma série de fatores a se considerar nessa avaliação, como o apuramento de downloads, instalações e até mesmo a quantidade de desinstalações.

Outro ponto importante são as atualizações. É preciso que ela aconteça periodicamente, uma vez que a desatualização pode comprometer a experiência do usuário com o app.

Quais as últimas atualizações do Google Play e o que isso muda no algoritmo

As últimas atualizações do Google Play estão enfatizando bastante a experiência do usuário (UX). Esse termo se baseia naquilo que o usuário sente ao utilizar um produto, sistema ou serviço.

Precisamos ressaltar que a experiência do usuário sempre vai ocorrer, já que ela se encontra presente em qualquer produto. O que muda é em relação ao produto desenvolvido, se ele se preocupa em otimizar essa experiência ou não.

Em relação ao algoritmo do Google Play, o que ele mais se importa no ranqueamento é quando:

  • Oferece uma navegação segura, com protocolos HTTPs;
  • Há ausência de materiais intrusivos, como banners e popups;
  • Existe uma produção de conteúdo relevante e de funcionalidade do app.

Agora que você entendeu mais sobre as últimas atualizações, conheça o carro-chefe do algoritmo do Google Play.

Como o RankMyApp pode te ajudar a performar melhor seu app no Google Play?

Agora que você aprendeu sobre o algoritmo do Google e tudo que é preciso para ranquear seu aplicativo com destaque, você precisa conhecer o RankMyApp.

Isso porque somos uma solução corporativa que utiliza uma análise minuciosa de dados para estabelecer as melhores estratégias para seu aplicativo.

Dessa forma, você poderá ter um aplicativo analisado a partir das páginas nas stores que seja capaz de ranquear bem no Google Play, App Store e outros. Além disso, conseguirá monitorar seus concorrentes, conseguir usuários mais qualificados e criar autoridade para a sua marca.

Para saber mais sobre outros assuntos do universo dos aplicativos e inteligência de marketing mobile, continue no Blog do RankMyApp.

MI

Últimas postagens